Sussurros..

Há uma voz sussurrando aqui. Mesmo com fone de ouvido e músicas em play, consigo ouvir. Apenas sussurros. Retiro os fones, e os sons ambiente em que me encontro não me deixam ouvir. Recoloco os fones no lugar, na mesma hora que esta começando uma música que a melodia toca em meus botões, e me transporta para um lugar diferente. Um lugar de paz. Só eu e a música, que diz “Until I feel what I wanna feel, what I wanna feel”, na letra ela quer sentir algo, não importa como, se será garotos ou venenos, ela só quer sentir. O que me faz sentir, o que quero sentir? Quais são meus ‘Boys n Poizn’? Devaneio em respostas possíveis e chego a conclusão que são as palavras. Quando as palavras que leio, nos livros ou contos, entram em contato com aquele ser que habita em meu intimo, eu sinto. Apenas sinto. Sinto os amores ali disposto. Sinto as dores. Sinto a satisfação da conquista. Embarco na viagem que o escritor me proporciona e vou. Nessa hora tudo silencia a minha volta. Não ouço nada, nem sussurros, que estão mais comuns agora. Enquanto a música toca, me concentro neles. Ainda tenho que descobrir como fazer estes sussurros ficarem audíveis, sem tanta concentração assim. Quero entender o que querem para mim. Já compreendi que querem um lugar fora de mim. Querem teclado, papel caneta. Querem vida. Querem algo além do sentido que anseio entender. Talvez, meu erro é achar que eles devem fazem sentido. Então, tornam-me escrava de sua vontade, e no momento, eu gosto disso. Gosto do que sinto quando, expulso elas de mim. No que estou me tornando? Não tenho ideia. Só, o que importa é o que sinto neste momento, desculpe meu egoísmo caro leitor, mas surge uma sensação de completude enquanto transponho essas coisas, talvez tão sem sentido para você, para o papel. Parece que tudo que estava fora do lugar, vai achando seu caminho. Vai entrando nos eixos e achando seu chão, o meu lugar no mundo. O ouço meus sussurros, eles parecem dizer que fiz tudo errado a vida toda. Que faz tempo, mas eles já foram mais altos. E os silenciei com a correria da vida, com as dificuldades impostas. Possivelmente, eu não estivesse pronta para o que eles têm preparado para mim. Espero que você, não demore tanto achar seu rumo. Que os seus sussurros sejam mais claros que os meus. Que você saiba o que quer sentir e vá atrás disso. Só você sabe onde achar aquilo que te completa. Eu sigo traduzindo meus sussurros, e buscando meu lugar. Buscando sentir o que quero sentir!

A playlist em repete, nem percebo que o mundo gira a minha volta. Somos apenas eu, meus sussurros, a música e o teclado. Tudo vai fluindo, a palavras acham seu lugar, E eu? ah, sou um ser em alívio. Consigo transpor essa necessidade de achar lugar para as palavras e sentidos para as coisas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s